Páginas

6 de fev de 2011


“Nunca me conformei com o fim de nada. Por mais que eu sentisse que era a hora. Por mais que eu quisesse ou precisasse me livrar das coisas. O fim sempre chega ou chegou como se eu jamais tivesse parado para pensar nele. Cruel, terrível e doloroso além de mim.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário